viernes, 7 de agosto de 2009

Caso Madeleine McCann - Detectives de los McCann muestran a una sospechosa del secuestro de Maddie

24 Horas

Pendiente de Traducción

¡Se busca a una Victoria Beckham!

Uma mulher "parecida com Victoria Beckham" com sotaque australiano ou neozelandês é a nova suspeita no desaparecimento de Madeleine McCann e que os detectives privados contratados pelos pais da criança querem agora encontrar.

A informação foi ontem revelada em Londres, numa conferência de imprensa onde Clarence Mitchell, porta-voz do casal McCann, e Dave Edgar, um dos detectives privados, apresentaram o retrato-robô da mulher, efectuado a partir do testemunho de dois turistas ingleses que afirmam ter falado com a mulheremBarcelona, três dias depois do desaparecimento de Maddie na Praia da Luz, no Algarve, em Maio de 2007.

As novas testemunhas são dois homens ingleses que andavam de bar em bar, acompanhados por um grupo de amigos, cerca das 2h00 manhã no dia 6 de Maio de 2007 numa zona frequentada habitualmente pelos turistas britânicos – durante a conferência de imprensa Clarence Mitchell especificou que as duas testemunhas "não estavam bêbadas". Os dois homens, que estranhamente esperaram mais de dois anos para darem esta versão, não estão de acordo quanto à origem do sotaque.

Mas afirmam que a mulher também falava castelhano ou catalão e descrevem-na como tendo 1,50 m de altura, magra, com idade entre 30 e 35 anos.

No dia do encontro ela vestia calças de ganga e um top em tons de pastel.

Suspeita em Barcelona As duas testemunhas são fiáveis," disse ontem Clarence Mitchell ao 24horas, explicando que, de acordo com os dois homens, a mulher estava na marina do Porto Olímpico de Barcelona junto ao barEl Rey de la Gamba, onde confundiu um dos homens com alguém que ela esperava.

De acordo com uma fonte próxima da investigação, a mulher esperava que lhe fosse entregue uma criança e teria confundido um dos ingleses que agora contactaram os detectives do casal McCann com a pessoa que supostamente lha deveria entregar. "É você que me vem entregar a menina?", terá perguntado a mulher.

Com uma apresentação que revelava uma pessoa com meios financeiros, a mulher estaria nervosa e insistiu por diversas vezes junto da testemunha acerca da entrega da criança.

A mesma fonte revelou ainda ao 24horas que a Policia Judiciária já foi informada desta nova pista, facto que não é, no entanto, confirmado oficialmente.

"O conteúdo da conversa é potencialmente significativo" e pode ajudar a explicar o que aconteceu a Madeleine McCann, disse Clarence Mitchell.

Os detectives privados acreditam que Maddie pode ter sido transportada de barco para Barcelona. Segundo o porta-voz de Kate eGerryMcCann, os pais de Madeleine encaram esta pista como sendo a "mais importante" que lhes foi dada a conhecer desde o desaparecimento da menina.

Polícias na ignorância Um porta-voz da Polícia Federal Australiana – Australian Federal Police (AFP) – confirmou ao 24horas que as autoridades "nesta fase não estão a investigar nenhuma das alegações," acrescentando que nem os agentes britânicos nem portugueses apresentaram até ao momento qualquer pedido de assistência.

Também a polícia espanhola, contactada pelo 24horas, afirmou desconhecer esta nova pista.

Confrontado com esta informação, o ex-polícia Dave Edgar disse ao nosso jornal que "se chegarem a uma linha de investigação forte, então vão entregar o inquérito às autoridades", o que não acontece no momento. Os detectives privados asseguram que também continuam a fazer investigações no nosso país com base nos dossiers da polícia portuguesa.

"Sim, já analisei o processo e ainda estamos a seguir linhas de investigação com base em informação que retirámos do processo", disse Dave Edgar, embore tenha recusado revelar que tipo de inquéritos têm sido realizados em território português.

A revelação desta suposta nova pista surge após o anúncio em Portugal de que Gonçalo Amaral estaria a reunir novos elementos que colocam em causa a tese do rapto e que poderiam reabrir o processo.

Gonçalo Amaral foi o coordenador do Departamento de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Judiciária (PJ) de Portimão que dirigiu as investigações ao desaparecimento de Maddie e que acabou por ser afastado do inquérito.

Para hacer comentarios: Aquí